Fotometria: o que é qual a importância em fotos profissionais

Fotometria-

A fotometria é um recurso essencial para os fotógrafos profissionais, afinal, apenas com ela é possível ter efeitos bem naturais nas imagens. Então, descubra a seguir tudo sobre essa técnica e como ela é crucial para criar uma foto de qualidade.

Conheça o antes e o depois da fotografia

A história da fotografia é um assunto muito vasto, diverso e com uma grande bagagem histórica, tanto profissional quanto artística. Afinal, supõe-se que, desde a antiguidade, os alquimistas já buscavam registrar momentos por meio de experiências.

Logo, a primeira máquina fotográfica foi criada somente em 1839, pelo francês Louis Jacques Mandé Daguerre. Entretanto, apenas em 1888, as câmeras se tornaram mais populares e desde então, essa fama só cresce.

Segundo pesquisas feitas em 2011, quase 400 bilhões de fotos foram tiradas, durante todo o ano. Sem dúvida, uma década depois, tendo em vista que várias pessoas têm maior acesso à tecnologia, esse número aumentou muito mais.

Com isso, surge o fotógrafo profissional que atua em diferentes áreas, dominando diversas técnicas ligadas à fotografia, por exemplo:

O que é a fotometria

A iluminação é essencial para que se consiga alcançar o efeito desejado em uma foto. Isto é, levar em conta a harmonização das cores faz com que o resultado final fique muito mais agradável aos olhos.

Dessa forma, a fotometria calcula a quantidade de luz presente no ambiente. Assim, após essa medição, o fotógrafo determinará o que deve ser feito para ter equilíbrio na imagem.

Esse é um recurso muito prático, que pode salvar você de situações de claridade excessiva, ou da falta dela. Nesse sentido, os tons do cenário se apresentarão de modo mais natural e evitarão um efeito desproporcional com o foco da foto.

Qual o papel do fotômetro

Fotômetro para fotometria

Em resumo, o fotômetro é um aparelho que calcula a intensidade da luz. Ou seja, a partir dele determina-se a fotometria. Assim, de acordo com o resultado apresentado, o fotógrafo toma alguma medida para melhorar a qualidade da foto, ou a mantém igual.

No sensor, há números que variam de -2 até +2, sendo que:

  • Os negativos representam imagens subexpostas (muito escuras);
  • Já os positivos são as superexpostas (muito claras).

Com isso, quando o ponteiro se estabiliza no meio, a luz está adequada. Há ainda dois tipos de fotômetros: os internos e os externos.

O primeiro, também chamado de embutido, encontra-se dentro da câmera, tanto na profissional, quanto no smartphone. Por outro lado, a externa ou manual pode-se comprar e deve ser configurada antes do uso.

Tipos de medição de luz

Ao contrário do que se pensa, há várias formas de analisar e medir a luz de um ambiente. Todas elas proporcionam um olhar diferente acerca do cenário, do objeto ou da pessoa que se deseja fotografar.

Matricial

Para fotógrafos iniciantes, em especial, o modo matricial é o que, por princípio, tende a reduzir erros. Assim, ele busca o equilíbrio de todas as cores presentes na área enquadrada, após realizar uma média baseada na luz do ambiente.

Contudo, se por um lado é uma ferramenta muito prática, por outro há alguns pontos de atenção. Isso porque, ao considerar todo o espaço, o foco de interesse da foto, no geral o central, acaba sendo prejudicado.

Parcial

Levando em conta o erro da medição matricial, o modo parcial surge para tentar solucionar esse problema. Dessa forma, ele reduz a área do cálculo da intensidade da luz, concentrando-a apenas em alguns pontos específicos mais ao meio.

Pontual

Como uma opção perfeita para fotografar objetos e pessoas de modo individual, essa forma leva todo o foco para o centro da imagem. Isto é, leva-se em conta apenas um elemento.

Os 3 pilares da fotografia

Fotometria- pilares da fotografia

Existem outras formas de ajustar a iluminação das suas fotos que é calibrar algumas ferramentas da própria câmera. Por isso, conhecer os 3 pilares da fotografia é essencial para uma boa formação como fotógrafo.

1 – Abertura do diafragma e a fotometria

Para obter fotos mais iluminadas, a dica é abrir o diafragma da câmera. Afinal, com ele, a quantidade de luz que passa pela lente é maior, o que proporciona fotos mais claras.

Só que por outro lado, quanto maior a abertura, mais desfocados os objetos ficarão. Assim, a região à frente e atrás do foco da imagem terão menos nitidez, o que prejudica o teor profissional da foto.

2 – Sensibilidade do ISO

Para fotografar em um local muito escuro, ou mais claro, definir a sensibilidade padrão do ISO é essencial. Ele tem o objetivo de tornar a quantidade de luz disponível pouco nociva para a qualidade da foto.

Essa ferramenta busca equilibrar os tons, mas, apesar dos seus benefícios, pode comprometer a imagem final, causando o efeito granulado.

3 – A rapidez do obturador e a fotometria

O objetivo do obturador é regular o tempo que o sensor permanece aberto, capta a luz e depois fecha. Portanto, a sua velocidade varia de acordo com a situação.

A importância da fotometria

Tanto para os fotógrafos que entraram no ramo há pouco tempo quanto para os que têm anos de experiência, a fotometria é vista por todos como o pilar que os sustenta. Além disso, traz consigo diversas qualidades:

  • Fotos mais naturais;
  • Melhor adequação ao ambiente;
  • Definição maior;
  • Ganho de foco;
  • Harmonia na imagem;
  • Impressão de profissionalismo.

Após algum tempo, a medição da quantidade de luz no ambiente já não será tão necessária. Com bastante especialização, você conseguirá identificar de forma natural quando uma foto está harmônica ou não.

Qual é a iluminação ideal?

Fotometria - Luz ideal

Uma dúvida muito recorrente entre os fotógrafos menos experientes está relacionada a não saber qual é a quantidade ideal de luz.

Dessa maneira, muitas confusões podem ocorrer, acabando por gerar resultados contrários aos que se desejava.

Logo, é preciso saber que não existe uma fotometria padrão. Afinal, assim como as fotos, todo cliente e ambiente é singular. Isto é, uma única iluminação não se adequa a qualquer circunstância.

Para isso, o profissional deve ser capaz de identificar cada situação e se adequar a ela. Assim, para obter sucesso na fotografia, é preciso entender que não existe iluminação certa ou errada, ela apenas varia de acordo com cada ambiente.

Então obrigada por nos prestigiar com sua leitura. Navegue em nossas categorias tem muitos artigos interessantes que talvez você goste.

Uma abraço e até a próxima

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.